30/12/2021

A FALSIFICAÇÃO DA FÉ E SUAS CONSEQUENCIAS NA SOCIEDADE – Múcio Morais

Fico pensando, como seria viver em uma sociedade menos fútil, onde se identificasse a vulgaridade e mediocridade dos comportamentos e houvesse um esforço honesto para mudança, onde as pessoas pensassem no bem estar do outro, com valores mais espiritualizados, não religiosos, porque a religião em nossa chamada Pátria, só tem a base do que enganosamente se chama “fé” e que no pensamento coletivo se transforma fajutamente no princípio “o importante é acreditar.”

Isso contrariando a base de sua própria crença, no caso do esfacelado Cristianismo, quando São Tiago escreveu uma regra de  ouro. Ele disse que a fé sem obras é morta (São Tiago 2: 26).

E o que é a fé sem obras?

Fé ("pistis" do grego e "fides" do latim), além de significar crer, quer dizer fiel, ter fidelidade. E a própria fé inabalável pode significar também fidelidade, pois quem crê mesmo em Deus e no seu enviado Jesus Nazareno é fiel a Eles e aos seus princípios.  E princípios sem prática não significam nada.

Assim, quando na Bíblia Sagrada se diz que quem tem fé ou crê em Jesus, se salva, é mais certa a tradução: Quem tem fidelidade, (e a fidelidade se reflete na prática dos princípios e valores conforme ensinou São Tiago), para com Jesus, se salva, pois crer nele simplesmente, de forma religiosa, até os demônios creem, e, às vezes, até creem mais do que nós, os chamados seguidores, Católicos, Evangélicos, Protestantes, Espíritas, Livres Pensadores, Espiritualistas,  pois é dito também por São Tiago: “Crês tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem. (São Tiago 2:19) O Que não é o caso da crença vista e exposta escandalosamente em nossa vulgar e pobre espiritualidade, onde sequer se treme.

Ao meditar sobre uma sociedade espiritualizada e consciente, com práticas reais movidas por uma fé verdadeira e viva, seja em que processo religioso for, penso em como esta característica pode manter os indivíduos na simples prática do bem, tendo esta prática ampliada à medida do crescimento do próprio indivíduo, que sociedade teríamos! Uauuuuuu!

Na base da espiritualidade concentram-se as mais diversas formas de crer, os mais variados modelos de comunicação entre mundos, nenhuma forma de ver o espiritual pode ser perfeita considerando especialmente nossos pactos interiores e exteriores com interesses, desejos, motivos, causas, etc. Mas seja qualquer forma de crença, se a fé for verdadeira, honesta e sair do campo teórico, ela é capaz de conduzir os seus praticantes na prática do bem e no caminho de busca do Deus todo poderoso. E, certamente todo esforço humano dirigido a este propósito, com intensidade, será compensado pelo próprio Deus, disso eu não duvido.

Segundo São Tomás de Aquino, a fé não pode violentar a razão,  e obviamente quando isso acontece, a fé se torna não confiável, imagine este contrassenso, uma fé não confiável, logo deixará se ser fé e se transformará em “fã” natismo, alimentado por um sistema de crenças absolutas e irracionais que visa servir a um ser poderoso,  “Fã” é um encurtamento de “fanático”, que veio do Latim fanaticus, “louco, entusiasta, inspirado por algum deus”.

Por incrível que pareça, as diversas formas em que se apresenta o cristianismo de hoje, mostra desde a fé meramente nominal, o hipócrita, ignorância espiritual, futilidade e irreverencia, até os desinformados, indiferentes, fanáticos e aproveitadores, principalmente nas chamadas “Igrejas e Ministérios” surgidos nas últimas décadas. A crença em ensinamentos misteriosos, sem base escritural, teses obscuras, confusas e claramente manipuladoras. Que não resistiriam a poucos minutos de uma exegese séria. Esta é uma fé sem obras e sem eco algum positivo na sociedade.

A fé indiferente e nominal já é tradição no ocidente, a fé de clichês, jargões, cercada de muita cerveja, ritmos com letras seculares e de pura sacanagem, subjetividade e cinismo. Esse tipo de fé é mesmo que não ter religião, crença ou qualquer base sólida de espiritualidade. E por assistirem este modelo muitos cristãos e espiritualistas mal formados estão engrossando a multidão de gente sem religião e ligados ao materialismo como resposta.

Quando perdemos a consciência do que nossa incoerência espiritual pode causar aos outros, podemos nos considerar mortos. (Múcio Morais)

Quanto mais longe de Deus um ser humano decidir andar, quer por aversão ao espiritual, quer por puro instinto de pasto, sua deterioração será a coisa mais evidente que terá para mostrar! (Múcio Morais)

Quando os princípios e crenças de um homem se tornam relativos, o que ele tem é no máximo um pagina rasgada de poesias em uma gaveta abandonada de sua alma, vez ou outra ele a encontra e solta uma bela frase, nada além disso. (Múcio Morais)

Uma sociedade materialista e dada às vontades e prazeres só pode esperar a decadência! (Múcio Morais)

É triste ver um religioso indiferente dizer feliz natal! (Múcio Morais)

Um dos grandes reflexos da crise de fé em que passa o mundo são as Igrejas vazias e os bares cheios! (Múcio Morais)

O Vírus da preguiça espiritual é pior do que qualquer pandemia, ele contamina gerações e as impõem a árdua tarefa de achar a felicidade sem Deus. (Múcio Morais)

Quando o elo entre a fé e a prática se quebram o que resta é a hipocrisia. (Múcio Morais)

Um homem pode mudar para sempre seu destino com um simples olhar diário para o divino! (Múcio Morais)

Uma religião que se declara “a verdadeira” assim ela é! Uma verdadeira lição de arrogância! (Múcio Morais)

Não subestime minha inteligência tentando convencer-me de que tudo existe como resultado de uma explosão. (Múcio Morais)

Tentar ser hoje uma versão melhor do você foi ontem é uma das missões básicas desta vida!  (Múcio Morais)

Quer brincar de fé, de religião, de Deus? Saiba que de Deus não se zomba! Até que tenhamos algo chamado “reverência” melhor tirá-lo até do nosso vocabulário. (Múcio Morais)

Desejo crescimento a todos!

Múcio Morais

PALESTRAS E WORKSHOPS PARA EVENTOS ECUMENICOS, CONGRESSOS DE DISCUSSÃO DA ESPIRITUALIDADE, SEMINÁRIOS E OUTROS.

06/12/2021

Foi só um descuido; E a Vaca foi pro brejo! Múcio Morais

Era tarde naquela noite, todos na fazenda já estavam dormindo, um barulho lá fora fez Dona Zilda acordar, ela sempre teve um sono leve, perturbada com o barulho que parecia uma serra, chamou o marido, “Zé, da uma olhada lá fora, tem alguém serrando as correntes da porteira”, mas o Zé, já acostumado com a muié que quase todas as noites acordava assustada, deu de ombros e virou-se para o outro lado, gentilmente dizendo a esposa “vai dormir muié”.

Pela manhã, bem cedin, todos se sentaram à mesa para um café com broa antes de ir pra lida, ordenha, apartar as galinhas que estão “ponhadas”, colocar lavagem para os porcos, alpiste e jiló pros passarin, pegar as fruta que caíram no chão a noite e dar pros bicho, jogar milho pras galinha, buscar os latão nos poste das cerca, a gente deixava emborcado pra secar durante a noite, enfim, muito serviço, mas naquele dia algo estranho despertou a atenção de todos e começou a gritaria, “Rainha” a vaga mais bonita e amada da fazenda não estava lá, a porteira da fazenda estava com a corrente serrada, e é claro, por lá levaram nossa melhor vaca, nunca mais a vimos, ela era avermelhada, chifres grandes, alta, postura de realeza, daí o nome “Rainha”, ela tinha os bezerros mais bonitos, era arisca, mas com carinho se deixava conquistar, um vaca linda.

Eu era uma criança, mas já participava do movimento na fazenda, trabalhava muito, gostava e me divertia com os peões, mas nos dias seguintes, nem eu nem ninguém fomos os mesmos, tristeza pelos cantos, as cantigas engasgadas não saíam, aquele silêncio onde antes só havia festa, sorrisos, brincadeiras e causos, e claro, meu tio berrando com todos nós. Mas por dias o clima ficou ruim. E pra completar a tia dizia a todo tempo: Pois é Zé, eu avisei ocê, falei que tavam roubando lá fora e ocê nem ligou, eu falei, eu disse, eu avisei, eu acordei ocê, mas ocê não fez nada e deixou nossa Rainha ser roubada. Ahhhhhhh Zé, nunca vou perdoar ocê. Toda hora eu escutava isso hahahaha, meu tio, pobrezinho, abaixava a cabeça, não dizia nada, mas descarregava a raiva em nós, na lida.

Um descuido, uma desatenção, uma preguicinha, uma dedução, uma intuição errada e a vaca foi pro brejo. É assim mesmo em nossa vida, um descuido, um sim onde deveria ter sido não, um vou onde deveria ter sido não vou, um quero onde deveria ter sido não quero, um não posso ao invés de ter sido um “eu posso”, é isso, um descuido em momentos cruciais e estamos sem a vaca no outro dia. Oportunidades perdidas, sonhos desfeitos, por um descuido, uma palavrinha, uma atitude.

Quantas vezes este “descuido” já nos custou caro? Aquela ação ou palavra não realizada ou não dita, aquele momento de segundos.

Temos uma mente poderosa, Especialistas afirmam que nosso cérebro recebe de seus sensores cerca de 11 milhões de bits de informação por segundo, embora todas essas informações não sejam completamente processadas por nossa consciência, como você deve ter imaginado, mas temos a capacidade de dar a atenção necessária a cada momento da vida, este descuido que nos faz sofrer por anos com uma decisão precipitada seja ela qual for, é desnecessário, a vida por funcionar muito melhor que isso, basta usarmos o nosso cérebro, amparado por limites de valores como bom senso, equilíbrio, sabedoria, experiência, enfim, temos a capacidade de não vivermos de descuido em descuido. De erro em erro. De mico em mico. Ou seja lá o nome que você queira dar.

Pense, analise, demore se precisar, avalie, e então tome decisões. Isso vai eliminar os erros? Não! Mas vai minimiza-los, reduzir bastante o percentual de bagaceiras em sua vida. Pode acreditar.

Ah sim, uma coisa importante, cuide de sua mente para que ela tenha condição para te ajudar, mantenha uma situação de equilíbrio mental, cultive a meditação e o sossego, fuja dos ritmos frenéticos, alucinantes, isso te coloca em uma situação mental desfavorável, sabia? Pois é! Exercite leituras de bom nível, escolha bons temas, desafie-se a aprender, não seja parceiro da estagnação, aprenda a mudar, experimente novos sabores, coloque a sua mente para funcionar.

Chega de descuidos, bora ser feliz!

Múcio Morais  (031) 99389-7951 * Palestras e Workshops * 

02/12/2021

Não aprendi dizer adeus! Múcio Morais

(Este texto faz parte da Palestra “Não aprendi dizer adeus”, Múcio Morais)

Está música tão linda, tem em seu refrão esta poesia:

Não aprendi dizer adeus

Mas tenho que aceitar

Que amores vem e vão, são aves de verão

Se tens que me deixar

Que seja então feliz       

Dizer adeus é uma das situações mais difíceis em nossa vida, especialmente quando se trata de uma relacionamento, um emprego que gostamos, amigos que ficam, família, pessoas que partem e pessoas que ficam, mas...

Perdoem-me a ousadia, quero falar sobre um adeus necessário e que produz as melhores mudanças se assim permitirmos, me refiro ao adeus que precisamos dar “a comportamentos, crenças e valores” que não nos ajuda a viver neste mundo. Isso mesmo está aí um tipo de adeus que precisamos aprender a fazer e com frequência porque enquanto algumas destas características estiverem presentes em nosso dia a dia, não podemos esperar muito no que diz respeito a felicidade.

E quais são estes elementos tão nocivos dos quais precisamos aprender a dizer adeus? Simples, (1) pensamentos que não produzem, mas paralisam, (2) valores que não enriquecem interiormente, mas banalizam, empobrecem a alma, (3) Sentimento que te prendem a emoções e roubam sua capacidade de pensar com clareza, (4) Hábitos de comportamento do tipo, cuidar da vida alheia, criticar, reclamar, auto elogiar, desconhecer o valor do silêncio, fazer-se de vítima, expressar mágoa e ódio gratuitamente, (5) Preguiça, (6) Falta de sonhos e projetos de vida, (7) descrença, (8) Estupidez, grosseria, indelicadeza, (9) autoflagelação, (10) Auto sabotagem, (11) Depressão e comportamento depressivo, (12) tolerância exagerada com coisas e pessoas que não te fazem bem, (13) Intolerância com aqueles que precisam de ajuda, (14) manipulação...

Estes comportamentos são em muitos de nós verdadeiros amores, pecados de estimação, ninguém pode falar ou mexer que entramos logo em defesa do pobre bichinho. Rompemos em desculpas e explicações ao invés de reconhecer a necessidade de abrir mão. Tenho pelo menos três pessoas de meu círculo de relacionamento que não são afeitos a minha presença, tive há algum tempo uma conversa com eles, separadamente, e, ao invés de dizerem adeus aos seus comportamentos inadequados, preferiram dizer adeus a mim, coisas da vida.

Quando temos uma história permeada pela incapacidade de dizer adeus às nossas encrencas pessoais, comportamentais e de caráter, por mais difícil que seja promover mudanças, nos tornamos pessoas decadentes e sem expectativas, nos frustramos facilmente e as cores da vida se tornam distorcidas e opacas.

A boa notícia é que nunca é tarde para aprender a dizer adeus. Soube da história de uma Senhora de 89 anos que ao perceber quão injusta tinha sido ao longo da vida com seus empregados na fazenda, reuniu-se com eles e se desculpou profundamente e fez uma bonificação pelos anos de cada um, houve um momento de muita comoção e aquela fazenda foi transformada em poucos dias em um paraíso, sorrisos, elogios, reconhecimentos, generosidade, enfim, após algumas semanas aquela senhora partiu, sua morte foi muito sentida, mas todos concordaram que ela tinha deixado um legado especial e uma lição a todos, “Nunca é tarde para mudar.”

Aprenda a dizer adeus àquilo que não te faz bem e nem às pessoas que te cercam, Ótima Vida!

Múcio  Morais

01/12/2021

Trecho da Palestra: Vida, Um Caminho Simples, de Múcio Morais

Estava escutando as queixas de uma amiga sobre a vida, ela ligou-me para pedir ajuda em uma decisão importante, eu estava atento às suas palavras, tentando perceber os reais motivos para aquela decisão, pra ela tão drástica, mudar para outro País, sozinha, deixando pra trás 2 filhos já adultos, o marido, pais, parentes etc. Ela me dizia a todo tempo, eu quero viver em paz! Chega de assumir tantas responsabilidades! Cansei de ser o esteio da família! Cansei de ter que resolver os problemas de todo mundo! Cansei de ser forte! Cansei de tanto me esforçar e não ter nada em troca! Estou cansada de responder por erros que não cometi! Meu marido me culpa por tudo! Sempre foi assim comigo! Vou embora daqui e nunca mais vou voltar, não quero que ninguém saiba onde estou!

Acho que quase todos nós já nos sentimos desta maneira não é? Frustrados e sem expectativas. Acho que resume bem!

Depois de escuta-la por mais de uma hora, finalmente ela fez a grande pergunta, o que eu faço? Vou embora para o exterior, largar tudo aqui, você acha que resolve?

Parei um pouco, respirei, pensei e disse a ela: Resolve sim, até você se envolver com outras pessoas e pegar o problema delas para você, até você se sentir sozinha e virar novamente a mulher maravilha e sair por ai salvando a humanidade, até você assumir responsabilidades que não te pertencem, até você começar a “escorar” um e outro, até você se esquecer de cuidar da vida mais importante que existe, a sua! Então amiga, em alguns meses, porque te conheço, você irá me ligar e falar as mesmas coisas sabe por quê? Listei para ela:

1.     Porque você não sabe dizer Não;

2.  Você não descobriu o seu lugar, o seu papel na sua vida e na vida dos outros;

3.   Tem uma ideia exagerada ou deturpada de si mesma por achar que pode resolver sempre, que tem as respostas, que é muito sábia, que tem a palavra definitiva, e isso amiga chama-se vaidade, auto exaltação, auto louvação.

4.    É uma maneira de parecer boa, e você é mesmo bondosa, interessada, mas em excesso, como você age, tem efeito contrário, você acaba parecendo intrometida e desagradável;

5.   É porque sua vida interior, espiritual não está sendo cuidada e você não sente paz mas lida com a culpa se não estiver dentro das encrencas alheias, mesmo dentro de sua casa.

6. É uma maneira de sentir-se parte, você sente-se por fora se não se envolver, esse sentimento de “não pertencimento” é gerado por desprezo em algum momento importante de sua vida, mas corrija isso, ser parte não é ser intrometido, mas sim estar disponível para servir e ser servido;

7.      Enfim, cuide-se! Exercite-se, cuide de sua saúde.

8.   Decida não se envolver e mesmo que seja chamada, avalie se vale a pena ou se o melhor é deixar as pessoas resolverem suas encrencas, aprenda a dizer NÃO POSSO, NÃO SEI, NÃO QUERO, NÃO VOU FAZER ISSO, SINTO MUITO MAS NÃO,

9.   Tire um tempo para meditar, orar, rezar, enfim, exercitar seu interior e se preparar para participar da vida da terra de verdade; Não brincando de psicóloga, mas brincando de gente que está exatamente onde deve estar.

Pois foi esta a conversa, claro que dei uma resumida, mas ao final deste papo fiquei surpreso por ainda ter uma amiga no Sul do Brasil, sim, Porto Alegre, uma das mais lindas cidades que temos, esta Gaúcha prometeu-me colocar tudo em prática, desistiu de se mandar para o exterior, na verdade eu disse a ela que um tempinho fora não faria mal, que ela até poderia ir, ficar um tempo, afastar-se mesmo, mas se cuidar, apenas dar no pé não resolve nada, esse pode ser um dos passos, mas ninguém terá sua vida resolvida por mudar de lugar, pergunte isso ao sofá de sua casa.

PERMITA QUE AS PESSOAS CRESÇAM, PERMITA-SE APRENDER A VIVER NA SIMPLICIDADE QUE A VIDA EXIGE.

Pessoas se tornam infelizes por cuidar excessivamente da vida dos outros e esquecerem-se de cuidar de si, este descuido vale uma vida, a sua!

O corpo precisa de descanso, a mente precisa de paz, o coração precisa de alegrias. Descansar, sair de cena, de verdade, é o primeiro passo para um novo padrão de vida. Que o fim do seu dia seja de descanso, leveza e paz. Se o seu interior estiver em paz, o resto estará bem!
Uma vida boa, alegre e com os solavancos de sempre, com os melhores pensamentos e decisões que façam diferença de verdade!
Pensamentos negativos jamais te trarão uma vida positiva!

Múcio Morais

ESTE TEXTO É PARTE DA PALESTRA “VIVER, UM CAMINHO SIMPLES” DO PALESTRANTE MÚCIO MORAIS, LEVE PARA SEU EVENTO. (31) 99389-7951

       

28/11/2021

Autoflageladores & Cia - Múcio Morais

A Vida e a carreira de algumas pessoas parecem estar sempre naufragando, é um sucessivo recomeço e uma enchente de projetos não realizados, e uma única certeza: "O Mundo, a vida e as pessoas estão comprometidos contra elas". (Múcio Morais)

Algumas coisas para pensar e mudar...

ATITUDE é uma parte essencial para definir o ritmo que vamos colocar em nossa vida; "Os autoflageladores" são aqueles que logo pela manhã já escolhem as armas com as quais irão se ferir durante aquele dia; Pode parecer lugar comum, mas a atitude inadequada é letal! Na verdade a atitude negativa, tendenciosa ou preconceituosa nos coloca em desvantagem diante de cada escolha que temos que fazer em nosso dia. Em que
velocidade seu projeto para hoje vai andar com o freio de mão do desânimo puxado?

SENTIMENTOS  em desordem é outra arma de automutilação, todos já ouvimos falar de pessoas que "gostam de sofrer", são exatamente aqueles que não conseguem tratar de maneira isolada, objetiva e prática os acontecimentos da vida. Insistem em colocar cargas excessivas de emoção e assumir a propriedade dos problemas e suas conseqüências. Sem o controle de nossas emoções tornamo-nos altamente instáveis e prejudicamos fatalmente nossa avaliação da realidade. Nós somos as nossas emoções e precisamos treinar nossa capacidade de autocontrole.

OBJETIVIDADE é a maneira de viver dos realizadores (Realizadores são aqueles que constroem em qualquer nível). Porque, apesar do aparente talento, desejos e perspectivas muitas pessoas não "realizam"? Desejar não é realizar; Sonhar sem projetar, organizar e definir metas traz frustração e coopera para a desordem emocional que mencionei acima, portanto, sonhe, mas seja objetivo, defina passo a passo o caminho a ser percorrido, com datas para conclusão de tarefas e reavaliação, do contrário, você se manterá em posição de luta interior com consequente perda de energia.

ANSIEDADE é a resposta que damos ao medo ou aos vários medos que cercam o nosso cotidiano, muitas vezes em função de nossa falta de atitude correta, administração dos nossos sentimentos e objetividade. O medo da incompetência, de não conseguir, do futuro, do desconhecido, de tentar, de experimentar e muitos outros meados que nos cercam nos deixam em um estado constante de ansiedade, é preciso aprender a viver o presente, a administrar e aproveitar o hoje da melhor maneira possível; O hoje satisfatório e bem administrado é o melhor remédio para a ansiedade.

Viver bem é decisão;

Viver bem é atitude correta;

Viver bem é determinação para faze-lo;

Viver bem é administrar corretamente as emoções;

Viver bem é ser objetivo e ter um plano a seguir;

Viver bem é viver o hoje satisfatoriamente evitando a ansiedade;

Quem não sabe viver, mata-se aos poucos;

Não morra, VIVA UMA ÓTIMA VIDA, é uma questão de decisão;

E quem decide é VOCÊ!

Tenha uma boa vida!

Múcio Morais

PALESTRAS & WORKSHOPS MOTIVACIONAIS E COMPORTAMENTAIS, FAÇA CONTATO PELO FONE-ZAP: 031 99389-7951 ou contato@muciomorais.com

26/11/2021

Hospital Risoleta Neves - Humanização é um processo de dentro pra fora – Múcio Morais

Ontem pela manhã comecei a sentir uma dor muito forte no músculo da coxa, quase não conseguia andar, a dor irradiava por toda a perna e coluna, algo muito desconfortável, já tive esta dor em tempos de atleta, mas não é o caso.  

Moro em Belo Horizonte e sempre que precisei usar o sistema público, fui muito bem atendido. Logo corri para o Pronto Socorro do Hospital Risoleta Neves, chegando lá fui recebido por um jovem que me orientou a falar com a recepcionista e tirar uma senha de atendimento, fui até ela, li seu nome no Crachá e pedi orientação.

Magna, este é o nome, se informou do meu problema, tirou uma senha e com muita ternura e precisão explicou-me os próximos passos, de vez em quando ela dava um sinal de que estava chegando a  minha vez, enquanto sorria e demonstrava carinho com os demais, rapidamente passei pelo guichê e logo para a triagem, onde também fui muito bem atendido e avaliado, com todo cuidado, por duas enfermeiras empáticas e interessadas, daí fui encaminhado a um serviço no próprio hospital chamado “Fast Truck” (Caminho Rápido), achei interessante o nome em Inglês, mas deu um certo charme, quem vai reclamar de ir a um lugar chamado “Fast Truck”?

Este é um serviço onde se tem um clínico para atender a casos que são de menor gravidade, exames simples, consulta e medicação serão suficientes e não se tumultua o espaço do  Atendimento de Urgência e Emergência,   

Magna me levou ao Fast Truck onde em alguns minutos uma jovem médica, Dra. Bárbara chamou-me e fez uma consulta perfeita, completou a anamnese feita pela equipe de triagem, mostrou dominar as questões importantes, foi cuidadosa e ética, mostrou respeito pela dor e desejo de ajudar a resolver, após a consulta ela me receitou alguns medicamentos e orientou algumas ações para melhorar, era uma distensão muscular em um local bem incômodo, enfim, fui encaminhado a um ambulatório e recebi a medicação que aliviou as dores. 

No ambulatório o mesmo padrão de acolhimento e carinho, enfermeiras atenciosas e habilidosas, passando confiança com leveza, pessoas que gostam do que fazem e do ambiente onde trabalham, não precisam ensaiar antes, a realidade é boa, e o hospital não vira um teatro com um show de horror.

Aliviado e grato, segui para casa, onde fui questionado por alguns amigos quando cheguei sobre não ter ido ao convênio particular bla bla bla, a fama de atendimento ruim no serviço público ainda ficará por uns tempos, foram anos de descaso, de gente mal amada e mal humorada, anos de arrogância de uma geração médica onde o status era mais importante do que a missão, foram muitos anos de preconceito, indiferença a dor, relaxamento e desdém, muitos profissionais passavam a ideia de que o cliente estava em débito, e que atende-los era um favor não um privilégio, muitos anos de gente assim encarregados de cuidar da saúde de nossas famílias e amigos.

Hoje, pareceu-me muito óbvio a preocupação de enviar ao médico um paciente “tratável”, isso mesmo, porque pacientes humilhados, mal tratados, ignorados e empurrados para o consultório, não precisam mais de tratamento, precisam sim de um  milagre pois estão em um estado emocional tão desfavorável que o médico terá que ser quase um santo. Encaminhar o paciente em bom estado emocional e espiritual ao médico facilita em muito o diagnóstico e o tratamento. Dá ao paciente uma das mais poderosas armas contra sua patologia, a esperança e a confiança.

Fico extremamente agradecido por esta mudança, está perfeito? Claro que não, ainda temos muito a evoluir, especialmente no próprio processo interno dos PA´s, UPA´s, Hospitais e outros centros médicos. Falo do carinho, atenção, acolhimento e valorização humana dos que ali dedicam suas vidas, se doam em favor de muitos, os profissionais da saúde, é visível que muitas coisas ainda não funcionam e que estes “Anjos” precisam se virar.

Obrigado equipe do Hospital Risoleta Neves, muito carinho e sucesso a vocês, que sejam sempre iluminados para avançar nas ações para manter este hospital como um modelo de humanidade em todos os aspectos, e, buscando a eficácia em cada elemento no entendimento de que todos participam do  processo terapêutico, desde a recepção onde o paciente recebe o primeiro sorriso e atenção que desperta sua auto estima e coloca seu sistema imunológico em parceria com ele mesmo, até a palavra final dada no consultório médico. Os Protagonistas deste show de realidade são vocês.

Meu carinho e gratidão a todos vocês!                                                            

Múcio Morais

ESTE ARTIGO SERÁ INCORPORADO NAS PALESTRAS E WORKSHOPS DE HUMANIZAÇÃO NA SAÚDE, oferecido pelo Prof. Múcio Morais. 

18/11/2021

Melhorarando a inteligência emocional (EQ) - Jeanne Segal, Ph.D., Melinda Smith, MA, Lawrence Robinson, Jennifer Shubin, adaptado e traduzido por por Múcio Morais.

Quando se trata de felicidade e sucesso na vida, o QI é tão importante quanto o QI. Aprenda como você pode aumentar sua inteligência emocional, construir relacionamentos mais fortes e alcançar seus objetivos.

O que é inteligência emocional ou QE?

Inteligência emocional (também conhecida como quociente emocional ou QE) é a capacidade de compreender, usar e gerenciar suas próprias emoções de maneira positiva para aliviar o estresse, comunicar-se com eficácia, ter empatia com os outros, superar desafios e neutralizar conflitos. A inteligência emocional ajuda você a construir relacionamentos mais fortes, ter sucesso na escola e no trabalho e alcançar seus objetivos profissionais e pessoais. Também pode ajudá-lo a se conectar com seus sentimentos, transformar intenção em ação e tomar decisões informadas sobre o que é mais importante para você.

A inteligência emocional é comumente definida por quatro atributos:

Autogerenciamento - você é capaz de controlar sentimentos e comportamentos impulsivos, administrar suas emoções de maneira saudável, tomar iniciativas, cumprir compromissos e se adaptar às novas circunstâncias.

Autoconsciência - você reconhece suas próprias emoções e como elas afetam seus pensamentos e comportamento. Você conhece seus pontos fortes e fracos e tem autoconfiança.

Consciência social - você tem empatia. Você pode compreender as emoções, necessidades e preocupações de outras pessoas, captar pistas emocionais, sentir-se confortável socialmente e reconhecer a dinâmica de poder em um grupo ou organização.

Gestão de relacionamento - você sabe como desenvolver e manter bons relacionamentos, comunicar-se com clareza, inspirar e influenciar outras pessoas, trabalhar bem em equipe e gerenciar conflitos.

Por que a inteligência emocional é tão importante?

Como sabemos, não são as pessoas mais inteligentes que têm mais sucesso ou são as mais realizadas na vida. Você provavelmente conhece pessoas que são academicamente brilhantes, mas são socialmente ineptas e malsucedidas no trabalho ou nos relacionamentos pessoais. A capacidade intelectual ou seu quociente de inteligência (QI) não é suficiente por si só para alcançar o sucesso na vida. Sim, seu QI pode ajudá-lo a entrar na faculdade, mas é o seu QE que o ajudará a controlar o estresse e as emoções ao enfrentar os exames finais. IQ e EQ existem em conjunto e são mais eficazes quando se complementam.

A inteligência emocional afeta:

Seu desempenho na escola ou no trabalho.  Alta inteligência emocional pode ajudá-lo a navegar pelas complexidades sociais do local de trabalho, liderar e motivar outras pessoas e se destacar em sua carreira. Na verdade, quando se trata de avaliar candidatos importantes para o emprego, muitas empresas agora consideram a inteligência emocional tão importante quanto a capacidade técnica e empregam testes de QE antes de contratar.

Sua saúde física. Se você não consegue controlar suas emoções, provavelmente também não está controlando seu estresse. Isso pode levar a sérios problemas de saúde. O estresse descontrolado aumenta a pressão arterial, suprime o sistema imunológico, aumenta o risco de ataques cardíacos e derrames, contribui para a infertilidade e acelera o processo de envelhecimento. O primeiro passo para melhorar a inteligência emocional é aprender a controlar o estresse.

Sua saúde mental. Emoções descontroladas e estresse também podem afetar sua saúde mental, tornando-o vulnerável à ansiedade e à depressão. Se você for incapaz de compreender, se sentir confortável ou controlar suas emoções, também terá dificuldade em formar relacionamentos fortes. Isso, por sua vez, pode fazer com que você se sinta solitário e isolado e agravar ainda mais quaisquer problemas de saúde mental.

Seus relacionamentos. Ao compreender suas emoções e como controlá-las, você será mais capaz de expressar como se sente e compreender como os outros estão se sentindo. Isso permite que você se comunique com mais eficácia e forje relacionamentos mais fortes, tanto no trabalho quanto na vida pessoal.

Sua inteligência social. Estar em sintonia com suas emoções serve a um propósito social, conectando você a outras pessoas e ao mundo ao seu redor. A inteligência social permite que você reconheça o amigo do inimigo, avalie o interesse de outra pessoa por você, reduza o estresse, equilibre o sistema nervoso por meio da comunicação social e se sinta amado e feliz.

Construindo inteligência emocional: quatro habilidades principais para aumentar seu QE

As habilidades que constituem a inteligência emocional podem ser aprendidas a qualquer momento. No entanto, é importante lembrar que há uma diferença entre simplesmente aprender sobre EQ e aplicar esse conhecimento à sua vida. Só porque você sabe que deve fazer algo, não significa que o fará - especialmente quando você fica dominado pelo estresse, que pode anular suas melhores intenções. A fim de mudar permanentemente o comportamento de uma forma que resista à pressão, você precisa aprender a superar o estresse no momento e em seus relacionamentos, a fim de permanecer emocionalmente consciente.

As principais habilidades para construir seu QE e melhorar sua capacidade de gerenciar emoções e se conectar com outras pessoas são:

§  Auto Gerenciamento

§  Autoconsciência

§  Consciência social

§  Gestão de relacionamento

Construir inteligência emocional, habilidade-chave 1: autogerenciamento

Para engajar seu QE, você deve ser capaz de usar suas emoções para tomar decisões construtivas sobre seu comportamento. Quando você fica excessivamente estressado, pode perder o controle de suas emoções e a capacidade de agir com reflexão e de maneira adequada.

Pense em uma época em que o estresse o oprimiu. Foi fácil pensar com clareza ou tomar uma decisão racional? Provavelmente não. Quando você fica excessivamente estressado, sua capacidade de pensar com clareza e avaliar com precisão as emoções - as suas e as de outras pessoas - fica comprometida.

As emoções são informações importantes que falam sobre você e os outros, mas, diante do estresse que nos tira da zona de conforto, podemos ficar sobrecarregados e perder o controle de nós mesmos. Com a capacidade de controlar o estresse e permanecer emocionalmente presente, você pode aprender a receber informações perturbadoras sem permitir que elas se sobreponham aos seus pensamentos e autocontrole. Você será capaz de fazer escolhas que lhe permitirão controlar sentimentos e comportamentos impulsivos, administrar suas emoções de maneira saudável, tomar iniciativas, cumprir compromissos e se adaptar às novas circunstâncias.

Habilidade chave 2: autoconsciência

Gerenciar o estresse é apenas o primeiro passo para construir a inteligência emocional. A ciência do apego indica que sua experiência emocional atual é provavelmente um reflexo de sua experiência de vida anterior. Sua capacidade de controlar os sentimentos essenciais, como raiva, tristeza, medo e alegria, muitas vezes depende da qualidade e da consistência de suas experiências emocionais no início da vida. Se o seu principal cuidador quando criança entendia e valorizava suas emoções, é provável que elas tenham se tornado um bem valioso na vida adulta. Mas, se suas experiências emocionais quando criança foram confusas, ameaçadoras ou dolorosas, é provável que você tenha tentado se distanciar de suas emoções.

Mas ser capaz de se conectar com suas emoções - tendo uma conexão momento a momento com a mudança de sua experiência emocional - é a chave para entender como a emoção influencia seus pensamentos e ações.

Você experimenta sentimentos que fluem, encontrando uma emoção após a outra, conforme suas experiências mudam de momento a momento?

Suas emoções são acompanhadas por sensações físicas que você experimenta em lugares como seu estômago, garganta ou peito?

Você experimenta sentimentos e emoções individuais, como raiva, tristeza, medo e alegria, cada um evidente em expressões faciais sutis?

Você pode experimentar sentimentos intensos que são fortes o suficiente para capturar tanto a sua atenção quanto a de outras pessoas?

Você presta atenção às suas emoções? Eles influenciam na sua tomada de decisão?

Se alguma dessas experiências não lhe for familiar, você pode ter “recusado” ou “desligado” suas emoções. Para construir QE - e tornar-se emocionalmente saudável - você deve se reconectar às suas emoções centrais, aceitá-las e ficar à vontade com elas. Você pode conseguir isso por meio da prática da atenção plena.

Atenção plena é a prática de focar propositalmente sua atenção no momento presente - e sem julgamento. O cultivo da atenção plena tem raízes no budismo, mas a maioria das religiões inclui algum tipo de oração ou técnica de meditação semelhante. A plena atenção ajuda a mudar sua preocupação com o pensamento para uma apreciação do momento, suas sensações físicas e emocionais, e traz uma perspectiva mais ampla da vida. A plena atenção o acalma e concentra, tornando-o mais autoconsciente no processo.

Desenvolvendo consciência emocional

É importante que você aprenda a controlar o estresse primeiro, para que se sinta mais confortável reconectando-se a emoções fortes ou desagradáveis ​​e mudando a forma como você vivencia e reage a seus sentimentos. Você pode desenvolver sua consciência emocional usando o kit de ferramentas de inteligência emocional gratuito do HelpGuide .

Habilidade chave 3: Consciência social

A consciência social permite que você reconheça e interprete as pistas principalmente não-verbais que outras pessoas estão constantemente usando para se comunicarem com você. Essas dicas permitem que você saiba como os outros estão realmente se sentindo, como seu estado emocional está mudando a cada momento e o que é realmente importante para eles.

Quando grupos de pessoas enviam pistas não-verbais semelhantes, você é capaz de ler e compreender a dinâmica de poder e as experiências emocionais compartilhadas do grupo. Em suma, você é empático e socialmente confortável.

Mindfulness é um aliado da consciência emocional e social

Para construir consciência social, você precisa reconhecer a importância da atenção plena no processo social. Afinal, você não consegue captar dicas não-verbais sutis quando está em sua própria cabeça, pensando em outras coisas ou simplesmente perdendo a cabeça no telefone. A consciência social requer sua presença no momento. Embora muitos de nós nos orgulhemos da capacidade de realizar multitarefas, isso significa que você perderá as mudanças emocionais sutis que ocorrem em outras pessoas e que o ajudam a compreendê-las totalmente.

Na verdade, é mais provável que você promova seus objetivos sociais colocando outros pensamentos de lado e se concentrando na própria interação.

Seguir o fluxo das respostas emocionais de outra pessoa é um processo de dar e receber que exige que você também preste atenção às mudanças em sua própria experiência emocional.

Prestar atenção aos outros não diminui sua autoconsciência. Ao investir tempo e esforço para realmente prestar atenção aos outros, você realmente obterá um insight sobre seu próprio estado emocional, bem como sobre seus valores e crenças. Por exemplo, se você sentir desconforto ao ouvir outras pessoas expressando certos pontos de vista, você aprendeu algo importante sobre si mesmo.

Habilidade chave 4: gestão de relacionamento

Trabalhar bem com os outros é um processo que começa com a consciência emocional e sua capacidade de reconhecer e compreender o que as outras pessoas estão vivenciando. Uma vez que a consciência emocional está em jogo, você pode efetivamente desenvolver habilidades sociais / emocionais adicionais que tornarão seus relacionamentos mais eficazes, frutíferos e gratificantes.

Perceba como você usa a comunicação não verbal de maneira eficaz. É impossível evitar o envio de mensagens não verbais a outras pessoas sobre o que você pensa e sente. Os muitos músculos do rosto, especialmente aqueles ao redor dos olhos, nariz, boca e testa, ajudam você a transmitir sem palavras suas próprias emoções, bem como ler a intenção emocional de outras pessoas. A parte emocional do seu cérebro está sempre ligada - e mesmo que você ignore suas mensagens - os outros não o farão. Reconhecer as mensagens não-verbais que você envia a outras pessoas pode desempenhar um papel importante na melhoria de seus relacionamentos.

Use o humor e as brincadeiras para aliviar o estresse. O humor, o riso e a brincadeira são antídotos naturais para o estresse. Eles diminuem seus fardos e o ajudam a manter as coisas em perspectiva. O riso equilibra o sistema nervoso, reduzindo o estresse, acalmando você, aguçando sua mente e tornando-o mais empático.

Aprenda a ver o conflito como uma oportunidade de se aproximar dos outros. Conflitos e desentendimentos são inevitáveis ​​nas relações humanas. Duas pessoas não podem ter as mesmas necessidades, opiniões e expectativas o tempo todo. No entanto, isso não precisa ser uma coisa ruim. Resolver conflitos de maneiras saudáveis ​​e construtivas pode fortalecer a confiança entre as pessoas. Quando o conflito não é percebido como uma ameaça ou punição, ele promove a liberdade, a criatividade e a segurança nos relacionamentos.

Autores: Jeanne Segal, Ph.D., Melinda Smith, MA, Lawrence Robinson e Jennifer Shubin

Vamos crescer?

Rir é o melhor remédio - Lawrence Robinson, Melinda Smith, MA e Jeanne Segal, Ph.D. Adaptação, Múcio Morais.

É divertido compartilhar uma boa risada, mas você sabia que isso pode realmente melhorar sua saúde? Aprenda como aproveitar os poderosos benefícios do riso e do humor.

Os benefícios do riso.                                  

É verdade: o riso é um remédio forte. Ele une as pessoas de maneiras que desencadeiam mudanças físicas e emocionais saudáveis ​​no corpo. O riso fortalece o sistema imunológico, melhora o humor, diminui a dor e o protege dos efeitos prejudiciais do estresse. Nada funciona mais rápido ou mais confiável para trazer seu corpo e mente de volta ao equilíbrio do que uma boa risada. O humor alivia seus fardos, inspira esperança, conecta você a outras pessoas e o mantém com os pés no chão, focado e alerta. Também o ajuda a liberar a raiva e a perdoar mais cedo.

Com tanto poder para curar e renovar, a capacidade de rir com facilidade e frequência é um recurso tremendo para superar problemas, melhorar seus relacionamentos e apoiar a saúde física e emocional. O melhor de tudo é que esse medicamento inestimável é divertido, gratuito e fácil de usar.

Quando crianças, costumávamos rir centenas de vezes por dia, mas, como adultos, a vida tende a ser mais séria e o riso menos frequente. Mas, ao buscar mais oportunidades de humor e risos, você pode melhorar sua saúde emocional, fortalecer seus relacionamentos, encontrar mais felicidade - e até mesmo acrescentar anos à sua vida.

Rir é bom para sua saúde

O riso relaxa todo o corpo. Uma boa risada alivia a tensão física e o estresse, deixando os músculos relaxados por até 45 minutos depois.

O riso estimula o sistema imunológico. O riso diminui os hormônios do estresse e aumenta as células do sistema imunológico e os anticorpos que combatem as infecções, melhorando assim sua resistência às doenças.

O riso desencadeia a liberação de endorfinas, os produtos químicos naturais para o bem-estar do corpo. As endorfinas promovem uma sensação geral de bem-estar e podem até aliviar temporariamente a dor.

O riso protege o coração. O riso melhora a função dos vasos sanguíneos e aumenta o fluxo sanguíneo, o que pode ajudar a protegê-lo contra um ataque cardíaco e outros problemas cardiovasculares.

O riso queima calorias. Ok, então não é um substituto para ir à academia, mas um estudo descobriu que rir de 10 a 15 minutos por dia pode queimar aproximadamente 40 calorias - o que poderia ser o suficiente para perder um quilo ou três quilos ao longo de um ano.

O riso alivia a carga pesada da raiva . Nada difunde a raiva e o conflito mais rápido do que uma risada compartilhada. Olhar para o lado engraçado pode colocar os problemas em perspectiva e permitir que você passe dos confrontos sem se apegar à amargura ou ao ressentimento.

O riso pode até ajudá-lo a viver mais. Um estudo na Noruega descobriu que pessoas com um forte senso de humor sobreviveram àquelas que não riem tanto. A diferença foi particularmente notável para aqueles que lutam contra o câncer.

Os benefícios do riso e do humor

§  Benefícios para a saúde física

§  Aumenta a imunidade

§  Reduz os hormônios do estresse

§  Diminui a dor

§  Relaxa seus músculos

§  Previne doenças cardíacas

§  Benefícios para a saúde mental

§  Adiciona alegria e entusiasmo à vida

§  Alivia a ansiedade e a tensão

§  Alivia o estresse

§  Melhora o humor

§  Fortalece a resiliência

§  Benefícios sociais

§  Fortalece relacionamentos

§  Atrai outros para nós

§  Melhora o trabalho em equipe

§  Ajuda a neutralizar o conflito

§  Promove laços de grupo

O riso ajuda você a se manter mentalmente saudável

O riso faz você se sentir bem. E esse sentimento positivo permanece com você mesmo depois que as risadas diminuem. O humor o ajuda a manter uma perspectiva positiva e otimista em situações difíceis, decepções e perdas.

Mais do que apenas um alívio para a tristeza e a dor, o riso dá a você coragem e força para encontrar novas fontes de significado e esperança. Mesmo nos momentos mais difíceis, uma risada - ou mesmo simplesmente um sorriso - pode fazer você se sentir melhor. E o riso é realmente contagioso - apenas ouvir o riso prepara seu cérebro e o prepara para sorrir e entrar na diversão.

A ligação entre o riso e a saúde mental, O riso para as emoções angustiantes. Você não pode se sentir ansioso, com raiva ou triste quando está rindo.

O riso ajuda você a relaxar e recarregar. Reduz o estresse e aumenta a energia, permitindo que você mantenha o foco e realize mais.

O riso muda a perspectiva, permitindo que você veja as situações de uma forma mais realista e menos ameaçadora. Uma perspectiva bem-humorada cria distância psicológica, o que pode ajudá-lo a evitar a sensação de opressão e conflitos difusos.

O riso nos aproxima das pessoas, o que pode ter um efeito profundo em todos os aspectos de sua saúde mental e emocional. O riso une as pessoas e fortalece os relacionamentos

Há uma boa razão para os seriados de TV usarem faixas de riso: o riso é contagioso. Algumas cenas não têm a menor graça, mas, rimos contagiados pela faixa. É muito mais provável que você ria com outras pessoas do que quando está sozinho. Ria por ver pessoas rindo, mesmo que não às conheça. E quanto mais risadas você traz para sua própria vida, mais feliz você e as pessoas ao seu redor se sentirão.

Compartilhar humor é metade da diversão - na verdade, a maioria das risadas não vem de ouvir piadas, mas simplesmente de passar tempo com amigos e família. E é esse aspecto social que desempenha um papel tão importante nos benefícios do riso para a saúde. Você não pode rir com outras pessoas, a menos que dedique um tempo para realmente se envolver com elas. Quando você se preocupa com alguém o suficiente para desligar o telefone e realmente se conectar cara a cara, você está se envolvendo em um processo que reequilibra o sistema nervoso e freia as respostas defensivas ao estresse, como "lutar ou fugir". E se você rir também, ambos se sentirão mais felizes, mais positivos e mais relaxados - mesmo que não consigam alterar uma situação estressante.

Como rir juntos pode fortalecer relacionamentos

O riso compartilhado é uma das ferramentas mais eficazes para manter os relacionamentos renovados e estimulantes. Todo compartilhamento emocional constrói laços de relacionamento fortes e duradouros, mas compartilhar risos também adiciona alegria, vitalidade e resiliência. E o humor é uma forma poderosa e eficaz de curar ressentimentos, desacordos e mágoas. O riso une as pessoas em tempos difíceis.

O humor e a comunicação lúdica fortalecem nossos relacionamentos, desencadeando sentimentos positivos e estimulando a conexão emocional. Quando rimos uns com os outros, um vínculo positivo é criado. Esse vínculo atua como um forte amortecedor contra estresse, desentendimentos e decepções. O humor e o riso nos relacionamentos permitem que você:

Seja mais espontâneo. O humor tira você dos pensamentos negativos e dos problemas.

Deixe de lado a defensiva. O riso o ajuda a esquecer ressentimentos, julgamentos, críticas e dúvidas.

Liberte inibições. Seu medo de se conter é colocado de lado.

Expresse seus verdadeiros sentimentos. Emoções profundamente sentidas podem vir à tona.                                                                                                                

Use o humor para resolver divergências e tensões em seu relacionamento

O riso é uma ferramenta especialmente poderosa para gerenciar conflitos e reduzir a tensão quando as emoções estão altas. Seja com parceiros românticos, amigos e familiares ou colegas de trabalho, você pode aprender a usar o humor para amenizar desavenças , diminuir o nível de estresse de todos e se comunicar de uma forma que construa seus relacionamentos em vez de destruí-los.

Como trazer mais risos para sua vida

O riso é seu direito de nascença, uma parte natural da vida que é inata e inata. Os bebês começam a sorrir durante as primeiras semanas de vida e a rir alto, poucos meses após o nascimento. Mesmo que você não tenha crescido em uma casa onde o riso era um som comum, você pode aprender a rir em qualquer fase da vida.

Comece reservando momentos especiais para buscar o humor e o riso, como faria com exercícios, e a partir daí. Eventualmente, você vai querer incorporar o humor e o riso à sua vida, encontrando-o naturalmente em tudo.

Aqui estão algumas maneiras de começar:

Sorriso. Sorrir é o começo do riso e, como o riso, é contagiante. Ao olhar para alguém ou ver algo, mesmo que ligeiramente agradável, pratique o sorriso. Em vez de olhar para o telefone, olhe para cima e sorria para as pessoas por quem passa na rua, para a pessoa que lhe serve o café da manhã ou para os colegas de trabalho com quem você divide o elevador. Observe o efeito nos outros.

Conte suas vitórias. Literalmente, faça uma lista. O simples ato de considerar os aspectos positivos de sua vida irá distanciá-lo de pensamentos negativos que bloqueiam o humor e o riso. Quando você está em estado de tristeza, precisa viajar mais para chegar ao humor e ao riso.

Quando você ouvir uma risada, vá em direção a ela. Às vezes, o humor e o riso são particulares, uma piada compartilhada por um pequeno grupo, mas geralmente não. Mais frequentemente, as pessoas ficam muito felizes em compartilhar algo engraçado porque isso lhes dá a oportunidade de rir novamente e alimentar o humor que você encontra nisso. Quando você ouvir uma risada, procure-a e pergunte: "O que é engraçado?"

Passe algum tempo com pessoas divertidas e brincalhonas. São pessoas que riem com facilidade - tanto de si mesmas quanto dos absurdos da vida - e que rotineiramente encontram humor nos acontecimentos do dia a dia. Seu ponto de vista lúdico e seu riso são contagiosos. Mesmo que você não se considere uma pessoa alegre e bem-humorada, ainda pode procurar pessoas que gostam de rir e fazer os outros rirem. Todo comediante aprecia um público.

Traga humor para as conversas. Pergunte às pessoas: “Qual foi a coisa mais engraçada que aconteceu com você hoje? Esta semana? Na sua vida?"

Riso simulado

Então, e se você realmente não consegue "achar o engraçado?" Acredite ou não, é possível rir sem passar por um evento engraçado - e o riso simulado pode ser tão benéfico quanto o riso real. Pode até tornar o exercício mais divertido e produtivo. Um estudo da Georgia State University descobriu que incorporar crises de riso simulado em um programa de exercícios ajudou a melhorar a saúde mental de adultos mais velhos, bem como sua resistência aeróbia. Além disso, ouvir outras pessoas rindo, mesmo sem motivo aparente, muitas vezes pode desencadear uma risada genuína.

Para adicionar risadas simuladas em sua própria vida, pesquise grupos de ioga do riso ou terapia do riso. Ou você pode começar simplesmente rindo das piadas de outras pessoas, mesmo que não as ache engraçadas. Você e a outra pessoa vão se sentir bem, vai aproximá-los e, quem sabe, até dar risadas espontâneas.

Criando oportunidades para rir      

§  Assista a um filme engraçado, programa de TV ou vídeo do YouTube.

§  Convide amigos ou colegas de trabalho para um clube de comédia.

§  Leia as páginas engraçadas.

§  Procure pessoas engraçadas.

§  Compartilhe uma boa piada ou uma história engraçada.

§  Verifique a seção de humor da sua livraria.

§  Organize uma noite de jogos com amigos.

§  Brinque com um animal de estimação.

§  Vá para uma aula de “ioga do riso”.        

§  Brincadeira com crianças.

§  Faça algo bobo.

§  Arranje tempo para atividades divertidas (por exemplo, boliche, golfe em miniatura, karaokê).

 Dicas para desenvolver seu senso de humor

Um ingrediente essencial para desenvolver seu senso de humor é aprender a não se levar muito a sério e rir de seus próprios erros e fraquezas. Por mais que gostemos de acreditar no contrário, todos nós fazemos coisas tolas de vez em quando. Em vez de se sentir envergonhado ou na defensiva, aceite suas imperfeições. Embora alguns eventos na vida sejam claramente tristes e não sejam oportunidades para risos, a maioria não carrega uma sensação avassaladora de tristeza ou deleite. Eles caem na zona cinzenta da vida comum - dando a você a opção de rir ou não. Portanto, opte por rir sempre que puder.

Como desenvolver seu senso de humor

Ria de si mesmo. Compartilhe seus momentos embaraçosos. A melhor maneira de se levar menos a sério é falar sobre ocasiões em que você se levou muito a sério.

Tente rir das situações, em vez de lamentá-las. Procure o humor de uma situação ruim e descubra a ironia e o absurdo da vida. Quando algo negativo acontecer, tente fazer disso uma anedota humorística que faça os outros rirem.

Cerque-se de lembretes para se iluminar. Mantenha um brinquedo na sua mesa ou no seu carro. Coloque um pôster engraçado em seu escritório. Escolha um protetor de tela de computador que o faça rir. Enquadre fotos suas e de sua família ou amigos se divertindo.

Lembre-se de coisas engraçadas que acontecem. Se algo divertido acontecer ou você ouvir uma piada ou história engraçada de que realmente goste, escreva ou conte a alguém para ajudá-lo a se lembrar.

Não se preocupe com o negativo. Tente evitar pessoas negativas e não se prenda a notícias, entretenimento ou conversas que o deixem triste ou infeliz. Muitas coisas na vida estão além do seu controle - principalmente o comportamento de outras pessoas. Embora você possa considerar admirável carregar o peso do mundo sobre os ombros, a longo prazo é irreal e prejudicial à saúde.

Encontre sua criança interior. Preste atenção nas crianças e tente imitá-las - afinal, elas são especialistas em brincar, levar a vida com leviandade e rir de coisas comuns.

Lide com o estresse. O estresse pode ser um grande impedimento para o humor e o riso, por isso é importante manter seus níveis de estresse sob controle. Uma ótima técnica para aliviar o estresse no momento é recorrer a uma lembrança favorita que sempre o faz sorrir - algo que seus filhos fizeram, por exemplo, ou algo engraçado que um amigo lhe contou.

Não passe um dia sem rir. Pense nisso como um exercício ou um café da manhã e faça um esforço consciente para encontrar algo que o faça rir todos os dias. Reserve de 10 a 15 minutos e faça algo que o divirta. Quanto mais você se acostuma a rir a cada dia, menos esforço terá que fazer.

Usar o humor para superar desafios e melhorar sua vida.

A capacidade de rir, brincar e se divertir não só torna a vida mais agradável, mas também ajuda a resolver problemas, conectar-se com outras pessoas e pensar de forma mais criativa. Pessoas que incorporam humor e brincadeiras em suas vidas diárias descobrem que isso os renova e a todos os seus relacionamentos.

A vida traz desafios que podem tirar o melhor de você ou se tornar um brinquedo para sua imaginação. Quando você “se torna o problema” e se leva muito a sério, pode ser difícil pensar fora da caixa e encontrar novas soluções. Mas quando você brinca com o problema, muitas vezes pode transformá-lo em uma oportunidade de aprendizado criativo.

Brincar com problemas parece ser algo natural para as crianças. Quando estão confusos ou com medo, eles transformam seus problemas em um jogo, dando-lhes uma sensação de controle e uma oportunidade de experimentar novas soluções. Interagir com outras pessoas de forma lúdica ajuda a manter essa habilidade criativa.

Sorria, divirta-se, ria, tempere com um pouco de ironia, tenha bom humor, leva as coisas na brincadeira quando possível, conte coisas engraças, brinque, exponha-se, libere-se, tire as barreiras emocionais, mude sua maneira de ver a vida, imponha a si mesmo a felicidade, a alegria e a paz de espírito.

Autores: Lawrence Robinson, Melinda Smith, MA e Jeanne Segal, Ph.D. Adaptação, Múcio Morais.

ESTA PALESTRA PODE SER LEVADA PARA SUA EMPRESA OU EVENTO!                                                                    |  contato@muciomrais.com  |  fonezap: 031 99389-7951  | 

Sorria! 

SEMANA DA EDUCAÇÃO NA ESCOLA

SEMANA DA EDUCAÇÃO NA ESCOLA - Professores, Gestores, Profissionais da Educação, Alunos, Pais, Familiares e Sociedade... Envolvidos em um grande projeto de mudança!

Esta Programação já foi realizada em mais de 1.000 Municípios e Escolas no Brasil e em Países da América Latina, já foram desenvol...